Archive for julho, 2010

Há alguns dias passei pela experiência de ver uma pessoa morrer. Aguardava meu voo em Congonhas quando um homem de cinquenta e poucos anos sofreu um infarto fulminante a poucos metros de onde estava. De nada adiantaram os trabalhos de salvamento, as massagens cardíacas, a respiração artificial, as injeções de insulina e os choques do […]