Emergência e desenvolvimento

30maio11

Barack Obama fez na semana passada um interessante discurso sobre a relação de forças entre Estados Unidos, Europa e os países emergentes, especificamente Brasil, China e Índia.

Basicamente, defendeu que, a despeito do forte crescimento de suas economias, nenhum dos neófitos citados está preparado para assumir a liderança desempenhada hoje por norte-americanos e europeus.

“Há quem acredite que tal crescimento virá junto com a decadência inevitável da influência de nossos países no mundo. Há quem diga que essas nações são o futuro e nós, o passado, mas isso está errado. O tempo para nossa liderança é agora”, afirmou Obama.

De fato, ninguém acredita que a China, a desbancar os EUA como maior economia até o fim da década, esteja perto de fazer algo semelhante sob os aspectos político e militar.

Índia e, principalmente, Brasil talvez nunca estejam. 

Ao explicar o porquê, Obama parece falar em particular a nós, brasileiros: “A prosperidade duradoura não vem do que uma nação consome, mas do que produz e de quais investimentos faz em sua gente e infraestrutura.”

Por este raciocínio, o Brasil pode até ser um mercado promissor, mas ainda está longe de ser um país desenvolvido.

Só posso concordar.

Anúncios


One Response to “Emergência e desenvolvimento”

  1. 1 sandra leite

    Triste, mas realista.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: